Dicas Para Escritoras: Português


Oi gente!
Então, hoje as dicas serão diferentes, essas aqui serão centradas na ortografia, afinal, por mais que a história seja a mais original possível e com um enredo incrível, às vezes a ortografia é um horror.
As dicas serão bem objetivas e vou tentar explicar o mais simples possível, sempre dando exemplos, ok? Mas, mesmo assim se você ainda tiver alguma dúvida, deixe nos comentários ou na ask (minha ou do blog) que eu ou as meninas tentaremos esclarecer da melhor forma possível.
Eu dividi em tópicos, então vamos lá:

OS PORQUÊS:

Muita gente confunde e erra a regrinha dos porquês na hora de escrever, então vou explicar aqui e tentar ser bem objetiva, ok?

POR QUE: sempre é usado em início de pergunta.
Exemplo: Por que você está tentando me mudar?
POR QUÊ: sempre é usado em final de pergunta.
Exemplo: Você não está comendo. Por quê?
PORQUE: sempre é usado em resposta, quando você está justificando algo.
Exemplo: Eu gosto da Beyoncé porque ela é diva.
PORQUÊ (normalmente o que todo mundo erra): sempre é usado como o motivo. O “porquê” sempre vem acompanhado do artigo “o”, e pode ser substituído pela palavra “motivo”.
Exemplo: Qual o porquê de todo esse ciúme?
   Qual o motivo de todo esse ciúme?

MAS/MAIS:

Esse é um dos erros mais comuns e mais grotescos que existe, pessoal. Esse e o do “a gente/agente”, que eu irei explicar mais abaixo. Lembrem-se dos exemplos que vocês nunca mais irão errar isso, palavra de escoteira que valeria alguma coisa se eu fosse escoteira, mas eu não sou hahaha

MAS: é uma conjunção adversativa, ou seja, é sempre que você está se opondo ou limitando algo.
Exemplo: Você pode ir ao cinema, mas terá que pagar a conta.
   Eu sou assim, mas posso mudar.
MAIS: tem duas funções - advérbio de intensidade e conjunção aditiva - ou seja, pode dar a noção de maior intensidade ou quantidade (advérbio de intensidade), ou acrescentar algo (conjunção aditiva).
Exemplo (advérbio de intensidade): Ele é o homem mais bonito do mundo.
Exemplo (conjunção aditiva): Preto mais branco é igual a cinza.

OBS.: conjunção são aquelas palavrinhas (mas, entretanto, mais, devido, porque, logo, então...) que servem de ligação entre duas orações - duas frases -, dando um sentido a elas. Existem vários tipos de conjunções, entretanto nós não iremos nos focar nelas hoje.

AGENTE/A GENTE:

Outro erro que me faz ter vontade de chorar, meus olhos praticamente sangram quando leio isso. Gente, pelo amor de Deus, nunca cometam esse erro, ok? Tanto em fanfic quanto em qualquer outra redação, texto, bilhete e etc., porque dá a impressão de que você dorme nas aulas de português.

AGENTE: se refere a agentes de um meio, ou seja, de alguma empresa em que os funcionários são chamados de “agentes”.
Exemplo: Aqui é o agente especial Leroy Jethro Gibbs. (para quem não conhece, ele é o “boss” da série NCIS, que eu recomendo, é muito legal).
   Parado! Agente do FBI!
A GENTE: se refere a conjuntos de pessoas, à população, etc. Em alguns casos, pode ser trocado por “nós”.
Exemplo: Tudo o que a gente queria era que parasse de chover.
   Tudo o que nós queríamos era que parasse de chover.
OBS.: Sempre que você trocar para o pronome “nós” releia a frase e verifique se há concordância verbal.

HÁ/A

: é usado para indicar tempo e no sentido de “existir”. No caso de “existir”, ele é conjugado na terceira pessoa do singular (ele).
Exemplos: um modo mais fácil de fazermos isso.
     Existe um modo mais fácil de fazermos isso. (no sentido de “existir”).
Para sabermos quando pode utilizar o “há” em sentido de tempo, podemos trocar o “há” por “faz” e, se não mudar o sentido real da frase, podemos utilizar o “há”.
Exemplos:  muito tempo que eu não durmo com uma mulher.
     Faz muito tempo que eu não durmo com uma mulher. (indica o tempo).
A: quando não for possível utilizar o “há” nem no sentido de “existir” e nem de tempo, utiliza-se “a”.
Exemplos: Daqui a pouco você ficará bêbada.
      Estamos a dez minutos de Seattle.

MAU/MAL

Ok, praticamente todo mundo tem que parar e pensar “é com “u” ou é com “l”?”, e normalmente a pessoa erra. Até eu tenho que parar e ver qual é o certo e no final, sempre fico em dúvida.
Dei uma pesquisada e consegui entender a diferença, vou tentar explicar aqui para vocês sem aquelas palavras complicadas e ser objetiva.

MAL: mal é antônimo de bem (ou seja, o oposto). O “mal” é usado principalmente para indicar algo feito de forma errada e incorreta, porém tem outras utilidades. Ele [mal] também pode ser uma conjunção temporal (que indica tempo) sinônima de “assim que”; também é um substantivo que pode indicar doença, angústia, maldade, enfim: tudo aquilo que é prejudicial ou nocivo.
Exemplos: Isso aqui está muito malfeito.
     O mal da natureza é a arrogância dos seres humanos.
     Mal a porta foi aberta, todos entraram correndo.
MAU: mau é antônimo de bom (ou seja, o oposto). O “mau” é usado principalmente para indicar algo de má qualidade ou alguém que faz maldades (tipo aqueles vilões, sabe?). É sinônimo de ruim, malvado, nocivo, indelicado, incapaz, incorreto, endiabrado, e mais alguns.
Exemplos: Ele é um mau chefe.
      Ela está de mau humor, não cutuque a fera.
OBS.: Uma dica que eu sempre utilizo para saber se tal palavra é com o “bem” ou “bom” é ver o seu antônimo (oposto), que no caso seria “mal” ou “mau”, então eu já consigo deduzir qual é o correto.

EMBAIXO/EM BAIXO

Nesse aqui eu dou um desconto, pois é fácil se confundir. Mas vamos aprender a diferença e livrar a blogosfera e as redações desse erro?

EMBAIXO: é um advérbio de lugar onde transmite a ideia de que há algo em um lugar inferior a outro (eu sei, ficou confuso). Sendo direta com palavras “normais”: significa que alguma coisa está abaixo da outra.
Exemplos: O gato está embaixo da mesa.
     Olhando de cima, tudo parece pequeno lá embaixo.
OBS.: o contrário de “embaixo” é “em cima”.
EM BAIXO: é usado quando a palavra “baixo” é utilizada como adjetivo.
Exemplos: Eles estão falando em baixo tom de voz.

ONDE/AONDE

É somente uma letra que muda totalmente o significado da palavra, muitos erram (muitos mesmo), mas estou aqui para ajudar tanto os escritores quanto as betas e críticas, que assim irão ter menos coisas para arrumar/criticar :P

ONDE: é sinônimo de “lugar”. Indica permanência.
Exemplos: Onde você mora?
     Em que lugar você mora?
AONDE: é sinônimo de “para que lugar” ou “a que lugar”. Indica direção e movimento.
Exemplos: Aonde você vai?
     Para que lugar você vai?

Enfim, gente, é só isso. Eu peguei os erros mais graves que eu (e muitas outras designers) percebemos na hora da escrita. Tomara que você tenham entendido tudo certinho, e que agora saibam utilizar o modo correto das palavras :)
Por favor, qualquer dúvida, não hesite em perguntar!
Ah! Se você tiver alguma dúvida na ortografia e gostaria que eu explicasse num outro post, só deixar nos comentários ou nas asks que eu elaboro outro post desse.
Como vocês podem perceber, eu não sou formada em letras nem nada, todo o meu conhecimento é devido a umas professoras maravilhosas que eu tive e a minha mãe, que - acredite ou não - me ensinou tão bem que chegou ao ponto de eu estar corrigindo ela agora xD
É só isso >.<
Beijocas!

Nenhum comentário. Seja o primeiro!

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.